terça-feira, 11 de abril de 2017

RESENHA: Livro "Charlotte" de David Foenkinos

Eita meu povo! Dia de resenha por aqui. Preparados para conhecer melhor mais um super livro? Então vamos nessa...

 TÍTULO: Charlotte
AUTOR: David Foenkinos
PÁGINAS: 240
EDITORA: Bertrand
A vida da pintora Charlotte Salomon, morta em Auschwitz 

Uma tragédia familiar pouco antes da Segunda Guerra Mundial marca a vida da pequena Charlotte, que já dava indícios da realizada artista que viria a se tornar. Obcecada pela arte e pela vida, a jovem, progressivamente excluída de todas as esferas sociais alemãs com a ascensão do nazismo, teve que abandonar tudo para se refugiar na França. Exilada, ela inicia uma obra pictural autobiográfica de uma modernidade fascinante. 
David Foenkinos coloca em suas próprias palavras um tributo original, apaixonado e vivo a Charlotte Salomon. Esse romance assombroso e redentor, pautado na vida da trágica figura real que lhe serve de protagonista, é o relato de uma busca. Da busca de um escritor obcecado por uma artista.
Charlotte é um romance biográfico narrado em terceira pessoa com autoria de David Foenkinos, que conta a história da pintora alemã Charlotte Salomon. O livro lançado no Brasil em Janeiro de 2017 pela editora Bertrand, possui 240 páginas.

Charlotte era uma alemã judia que herdou o nome de sua tia, irmã amada de sua mãe. Sua criação durante a infância variou com as conturbações de sua mãe, que assim como a tia de Charlotte também teve um fim trágico, onde descobrimos depois que a tragédia é quase como uma herança familiar.

Ao descobrir a arte de pintar ainda na adolescência, ao mesmo tempo em que a II Guerra estourava, Charlotte enchia os olhos dos professores e diretores da escola mais aclamada de artes do país. Porém sua raça colocava em jogo seu futuro e o provável sucesso, o que a frustrava e mexia com seu ser, revelando para a jovem que a vida não seria fácil e que a esperança só sobreviveria dentro de si se ela fosse muito forte.

Quando Charlotte descobre o amor em um homem mais velho, o sentimento vivido lhe inspira a pintar e se aventurar mesmo quando tudo ao redor parece um caos. Um amor quase proibido e certamente improvável tendo em conta inúmeras condições da sua vida e da época em si.

No estopim da Guerra, não tem como não viver mais baixos do que altos, sempre fugindo, se escondendo, fingindo e pintando, pintando muito! Pintar é o que ainda consegue lhe fazer feliz, ou mais que isso, a arte, seus desenhos se tornam a sua força vital, o que mais importa, mais do que a própria sobrevivência.

A estrutura da narrativa é muito semelhante a de poesia e não de romance. O drama depositado em cada frase pronta para deixar o leitor com aqueles 3 segundos olhando pro nada antes de prosseguir é constante. O autor reviveu lugares por onde a artista passou e se aprofundou minuciosamente na sua história, fazendo um trabalho impecável nessa obra.

Para quem gosta da ambientação da II Guerra e histórias sobre pessoas que lutaram para sobreviver nessa época, esse é um grande livro, onde o impacto da narrativa acerta em cheio o coração do leitor, assim como conhecer melhor a árdua vida desta mulher e entender porque sua obra "Vida? Ou teatro?" é tão carregada de sentimento.

O trabalho da editora Bertrand com a obra é indiscutível, deixa a leitura muito mais fluida e agradável. Espero que tenham gostado da indicação, é um grande livro amigos!

8 comentários:

  1. Parece ser um bom livro,vou procura lo, gostei!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Eu sou completamente apaixonada por livros ambientados na Segunda Guerra Mundial, então apenas por isso já fiquei bastante curiosa para ler esta obra. Tmbém achei interessante que a estrutura da escrita do autor assemelha-se a uma poesia, visto que é algo bastante inovador. Creio que me apaixonaria por este livro, pois são meus fracos. Adorei a resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá tudo bem, confesso que nunca li nada sobre esse tema, segunda guerra mundial, mas vou me esforçar para tentar ler esse livro. Beijos e Obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas amei a resenha. Gosto muito de histórias que se passam durante querras. Sei que na maioria das vezes, são histórias com finais tristes, mas que nos proporcionam grandes lições de vida.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Achei provocativo, e certamente um livro que já entrou para minha lista? Sim!
    Fiquei bastante interessado e nunca li um livro que falasse sobre a espécie alemã na época da segunda guerra. Será um prazer o ler.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela resenha, adorei a indicação. A história parece ser bem interessante e emocionante, além disso, adoro livros com ambientação histórica. Abraços.

    ResponderExcluir
  7. (pelo título, achei que seria de um autor que conheço, mas não haha) sabe aqueles livros que tem uma coisinha, um ar de que vai parar em Hollywood? Senti um cheirinho assim desse livro. Uma bela adaptação pra fazer jus à Charlotte Salomon. Se ver por aqui, vou pegar na hora pra dar uma olhada, achei interessante essa forma de narrativa que você comentou ;)

    ResponderExcluir
  8. Olá, Rodrigo! Gostei demais de Charlotte! Livro intenso em seu enredo e escrita, é o tipo de leitura que faz com que a gente se envolva emocionalmente mesmo, por completo... Já entrou na minha lista dos preferidos do ano!!
    Saudações,
    Rebeca

    http://blogpapelpapel.blogspot.com

    ResponderExcluir

TWITTER