segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Hey my dear Booklovers!!! Como estão? Dia de resenha e vamo que vamo...
Meu verdadeiro nome é Lucas Alcântara e eu tenho muito o que contar...
 Desde que arrancaram meu direito de viver em paz vivo uma luta para libertar minha alma dessa enfermidade que é a ideia de vingança e toda conturbação que isso abrange.Por dois anos conheci do inferno. Perdi amigos. Perdi parentes. Perdi a mim mesmo.Fui dado como morto há treze anos, após sofrer um atentado. Assumi uma nova identidade, uma nova vida, mas existem marcas do passado que simplesmente não esquecemos e que sempre nos damos o desprazer de manter frescas em nossas mentes, queimando em nossas almas.
 Meu nome agora é Natanael Váli, empresário bem sucedido e namorado da filha do Raul que é meu maior inimigo - meu alvo principal - nessa luta, e com minha união com velhos inimigos e da polícia federal, iremos derrubar todo seu império de monstros e dementes até que reste apenas ele para o meu veredito final.
 Raul, você pode usar seu dinheiro para se safar dos seus crimes, pode tentar comprar a tudo e todos, mas estou te caçando. Você tirou o melhor de mim... E agora vou tirar o melhor de você.
 Está história não é sobre justiça
 Sob o Domínio do Silêncio é um livro de suspense escrito por Fernando Mello. Narrado em primeira pessoa, o livro possui 300 páginas dividido em 24 capítulos. Com uma ótima revisão e acabamento, o livro lançado de forma independente chama a atenção fisicamente.

Lucas sempre foi um jovem inseguro e apaixonado por uma garota que considerava inalcançável. Para chamar a atenção de sua paixão e tentar aumentar sua popularidade acabou escolhendo as companhias erradas, com hábitos e comportamentos que Lucas não imaginava levá-los a fins tão inacreditavelmente perigosos.

Falsos amigos apresentaram a Lucas um falso mundo de prazer e ascensão que o levou a ser torturado e morto (isso mesmo!). Uma grande trama envolta a história que percorre as torturas, estupros e quase morte do protagonista que precisou trocar de identidade para arquitetar sua vingança.

Com a ajuda de pessoas em comum às maldades que Lucas sofreu, eles arquitetam um ambicioso plano para pôr um fim nos mais perigosos bandidos sexuais que molestam e torturam jovens, homens ou mulheres. Pessoas da alta sociedade que vivem uma vida dupla e fazem absurdos em busca do prazer doentio são os grandes vilões dessa história.

Com um novo nome, personalidade e pode-se dizer, uma nova alma, nosso protagonista além de passar inúmeras situações constrangedoras e que precisam de seu sangue mais frio do que nunca, uma batalha interna também é travada para que o surto não destrua seus planos. Os demônios internos junto com o trauma vivido é um ponto de importância da história, onde o personagem se vê a todo momento atormentado, perturbando o leitor com seus problemas e nos levando a sofrer junto com ele seus surtos e questionamentos sobre a sede de vingança que corrói seu ser.

Passando por cenas pesadas de estupros, torturas e drama psicológico, a trama também finca no que um bom romance policial carrega: reviravoltas e surpresas guardadas para o momento certo de surpreender o leitor. O autor é meu conterrâneo - vizinho, inclusive - e foi uma experiência muito bacana ler um livro desse gênero ambientado na minha cidade, Fortaleza.

Mais uma obra nacional que me deixou orgulhoso e que posso indicar sem medo. Não deixem de conferir a fanpage do autor e conhecer seus outros trabalhos. Espero que tenham curtido a resenha. Beijo na alma!



segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

E aí, bookolvers, como estão? Férias chegando e já começa a animação pra retomar as leituras à mil. E lá vai uma indicação pra vocês em forma de resenha...
Entre Quatro Paredes é um thriller psicológico escrito por B.A. Paris e foi lançado no Brasil em Julho de 2017 pela Editora Record. Narrado em primeira pessoa e com capítulos divididos entre passado e presente, o livro possui 266 páginas numa edição com capa em Brochura.

Aos olhos de todos, Grace é uma esposa perfeita, feliz e sortuda por ser casada com Jack, um dos advogados mais bem sucedidos quando se trata de casos de violência doméstica sofrida por mulheres. Nunca perdeu um caso e seu tipo de caso é muito visto na mídia.

A verdade é que ninguém imagina que o homem que livra as mulheres de seus agressores com pleno sucesso, sendo idolatrado e tido até como herói vive uma realidade totalmente oposta dentro de casa, mal-tratando de formas inacreditáveis sua esposa, escolhida à dedo, por motivos mais improváveis ainda, revelados posteriormente na metade da trama.

Grace tem uma irmã com Síndrome de Down, uma personagem única, interessante e fofa que traz um quê diferenciado na história que me chamou a atenção. O amor incondicional da protagonista pela irmã faz com que ela tenha que se submeter à situações mais humilhantes para protegê-la, apesar da esperteza da garota.

Jack não é só uma pessoa de dupla face doentia. É altamente inteligente, calculista e falhar não está em seu script. Entretanto Grace não fica pra trás, mesmo dando deslizes inaceitáveis, a moça pretende dar a volta por cima mesmo quando nós leitores, nos desiludimos de que seja possível.

A narrativa é bem viciante e apesar de não ter altos e baixos, é uma trama que segura o leitor até o final. A autora perdeu a oportunidade de transformar cenas importantes em inesquecíveis mas eu, como leitor assíduo de thrillers, a perdoo, pois existem detalhes, como a personagem ímpar, irmã de Grace, o relacionamento abusivo e doentio que por mais absurdo que seja não foge da realidade e também as espertas tentativas e falhas dos personagens de conseguir dar um jeito em seus planos, tudo isso torna esse trabalho bastante aceitável.

É o tipo de livro que poderia ganhar uma adaptação para filme de boa, não importando o clichê, assistiria de bom grado. Fica a indicação, dou 3 estrelas de 5. Edição e revisão como sempre muito boas, qualidade garantida sempre pela Record.

Espero que tenham curtido e até logo!

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Hey my dear readers! Como estão? Trago novidades! A editora parceira do blog Cultura Em Letras Edições está com lançamentos imperdíveis. Confiram:

ANTOLOGIA "DAS TREVAS" - VÁRIOS AUTORES

_
Elaborado a partir de seleção de autores, o livro traz contos de terror em diversas histórias contagiantes e de arrepiar!



TEMPO INCERTO - MAURO FRANCO

_
 No Rio de Janeiro, o jornalista Fabio se vê às voltas com a passagem do tempo e as transformações que causou em si, a partir de uma série de situações cotidianas. Quando revê suas memórias, faz uma viagem ao tempo e recomeça sua jornada na década de 30, narrando diversos temas que fizeram retroceder sua vida em diferentes realidades. 2ª edição revisada e renovada.




Já estou com essas maravilhas em mãos e em breve terão resenha aqui no blog. Fiquem ligados!

terça-feira, 21 de novembro de 2017



Olá pessoas, como estão!?

Sabe aquele momento que um autor internacional que você imaginava ser inalcançável lhe dá aquelas migalhas de atenção e você pira!? Então, você fica vendo, revendo a foto/post e não consegue acreditar que aquele magnata da literatura (calma, exagerei...ou não!) notou você.

Às vezes, sem a menor das intenções, você marca o perfil do dito cujo, só de praxe mesmo, ou marca a editora ou puxa a hashtag da obra e de repente PÁ! o autor lhe nota, as vezes deixa um emoji e nos casos mais lindos agradece!

Quando enfatizo que esses pequenos momentos de alegria se dão com autores internacionais é por conta (obviamente) da acessibilidade que sabemos ser mais difícil com profissionais que são seguidos por fãs do mundo todo. Nada tão diferente de quando conhecemos e somos notados por autores da casa, que adoramos e são tão bons quanto os gringos.

A questão às vezes é o estrelismo ou indiferença com que autores brasileiros têm com fãs e blogueiros, estrelinhas que fecham contrato com uma editora grande e já se sentem ocupados demais pra responder, agradecer ou demonstrar qualquer atenção e interesse por aqueles que fazem com que seu trabalho aconteça.

Esses dias a autora Jennifer Niven (Por lugares Incríveis e Juntando os Pedaços) compartilhou uma foto minha com seu livro e de diversos fãs ao redor do mundo, agradecendo por um prêmio vencido e pelo reconhecimento de seu trabalho com fãs de todo os lugares. Ao compartilhar minha euforia me deparei com diversos colegas relatando que já aconteceu com autor fulano e sicrano e como foi especial receber aquela atençãozinha de pessoas que de certa forma escrevem pra gente, e muitas vezes acabam fazendo parte de nossas vidas.

Certamente já aconteceu com você. É bom né!? E às vezes é importante, não é verdade? Alguns @ deveriam aprender sobre humildade e mais atenção com seus fãs.

Relata aí quando o seu autor(a) favorito(a) te notou e você pirou!
Resultado de imagem para omg!

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

E aí, queridos! Estava tão atolado de trabalho mas estava com muitas saudades de escrever no blog que tô quase emocionado de tá voltando ahaha! Bom, vamos de resenha pra (re)começar...
No século XXV, a consciência de uma pessoa pode ser armazenada em um cartucho na base do cérebro e baixada para um novo corpo quando o atual para de funcionar. A morte, agora, nada mais é que um contratempo inconveniente, uma falha no programa. Takeshi Kovacs, um ex-militar de elite, após sua última morte, tem sua consciência transportada a Bay City, a antiga São Francisco, e é trazido de volta à vida para solucionar o assassinato de um magnata. Isso só para descobrir que seu contratante é a própria vítima, que voltou à vida em um novo corpo, mas sem as memórias do crime. Mal sabe Kovacs, porém, que essa investigação irá lançá-lo no centro de uma conspiração perversa até para os padrões de uma sociedade que trata a existência humana como um produto a ser comercializado.
Carbono Alterado é o primeiro livro da saga que leva o mesmo nome, é escrito pelo autor Richard Morgan e foi lançado no Brasil pela editora Bertrand Brasil em Junho de 2017. Com 490 páginas, o livro é narrado em primeira pessoa e em seu estilo CyberPunk promete conquistar o mundo como série adaptada em breve pela Netflix.

Takeshi Kovacs é um detetive que recebe um chamado para investigar a morte de seu próprio contratante. No futuro em que a história se passa, a consciência (ou espírito) é transportada sempre para um novo corpo, que na história chamam de cartuchos. Nesse caso, as pessoas são imortais, a não ser que o "cartucho" seja destruído e os dados perdidos, fazendo assim acontecer uma morte definitiva.

O detetive encontra dificuldades para solucionar o caso e acaba se deparando com uma rede de crimes e intrigas insana que fará de sua missão mais interessante e perigosa do que poderia imaginar. Com cenas de ação acima da média e ambientação bastante interessante misturando aspectos futurísticos e raw estilo Blade Runner o livro peca pela narrativa ser um pouco arrastada. No começo você se pega envolvido pelo ambiente misturando suspense e tecnologia avançada até que você espera ansiosamente por uma cena de ação (ou sexo, que também são muito boas) para apimentar a trama.

Takeshi não é bem um protagonista que ganha a simpatia do leitor, você apenas o acompanha ao longo da história porque o autor quis assim. Mas vou aguardar com afinco a série e ver o que a adaptação poderá melhorar tanto nos personagens quanto no desenvolvimento da trama. Os termos muito técnicos e tecnológicos podem também sofrer alguma alteração, assim poderá conquistar melhor um público maior que não liga tanto para detalhes tão específicos.

No entanto vale à pena conferir a obra antes da adaptação para que você sinta aquele gosto de "tô por dentro de tudo", mas também não há nenhum pecado em apenas ficar ansioso pela série e pular o livro. A indicação fica em aberto, de qualquer forma não decepcionou. A edição e revisão sem erros da Bertrand Brasil só confirma o trabalho excelente que a editora vêm fazendo com traduções e lançamentos em geral.

Perdoem a ausência e obrigado por não me abandonarem. Espero que tenham curtido a resenha e beijo na alma! ;)


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Hello, booklovers! Tudo bão? Terminei mais um livro super bacana e vim correndo compartilhar minhas impressões com vocês. A resenha é super especial pois o autor é um super amigo!
Tudo está muito quieto nas últimas quatro semanas depois da decisão de Hugo em lutar contra Sillas. Mesmo que nada aparentemente esteja acontecendo, algo ainda mais sombrio está sendo tramado, novas alianças estão sendo feitas e muitos segredos estão se escondendo na escuridão. Hugo ainda não está preparado para lutar contra o mal que o cerca e precisa ser treinado urgentemente, antes que seja tarde demais. Moris sabe que precisa usar um plano arriscado para ajudar Hugo a ganhar tempo e se preparar contra a guerra que se aproxima.
O Herdeiro de Eddon - Clã da Luz é o segundo volume da saga O Herdeiro de Eddon escrita pela autor M.P. Telles. Com 346 páginas o livro teve lançamento na metade de 2017 pela editora Multifoco. Para conhecer melhor a história confira a resenha do primeiro livro AQUI NO BLOG.

Hugo Thomas é um rapaz de 15 anos e que está prestes a vivenciar uma grande reviravolta na sua vida. Depois de descobrir ser o único herdeiro de uma terra em extinção mas com seu povo espalhado por todo o mundo, Hugo terá que inevitavelmente fugir de Silas, seu tio e maior inimigo.

Neste segundo volume a história ganha novos e importantes personagens. Antes, com amigos mais velhos e conhecidos de seu pai que prometeram proteger o herdeiro, Hugo estava dando os primeiros passos para entender a importância de sua existência para todo um povo, agora ele terá que lutar -literalmente- para sair vivo das armadilhas de Silas. Mas para isso precisará de mais ajuda, seus oficiais guardiões - O Clã da Luz!

O clã da luz é composto por uma linhagem herdeira de dons que serão usarão para proteger o herdeiro e todos os Eddonianos. Rodrigo, Sofia e Heitor são adolescentes que pensam serem comuns apesar de vez ou outra algo estranho acontecer em suas vidas. Na verdade, todos os garotos são hedonis - metade humanos, metade eddonianos - e serão convocados para um sério treinamento juntamente com Hugo para estarem preparados para a iminente guerra.

O autor deu um up legal na história com os novos personagens, ampliando o apego que o leitor terá com a trama. Agora temos mais para quem torcer e se divertir. Um elo de amizade - já previsível- nascerá entre os jovens e assim mais aventuras irão compartilhar.

O antagonista está mais cruel e a obscuridade toma de conta desse novo episódio que deu um grande passo em relação á história e tudo que nela compõe. A edição porém possui sérios erros de revisão e ortografia mas pra quem consegue passar por cima disso e focar na narrativa não será um problema.

Agradeço imensamente ao autor M.P. Telles pela parceria e homenagem - Sim! Homenagem - Ganhei um personagem com meu nome. Fiquei muito feliz e animado com isso, pois eu - o Rodrigo - sou um dos membros do clã e meu dom é F#d@!!! Hahaha

Espero que tenham curtido a resenha e confiram o trabalho do autor:


BOOKTRAILER
 

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Olá, meus queridos! Tudo bem? Mais uma leitura finalizada e mais uma resenha aqui pra vocês! Vem conferir...
Leon é um romance gay nacional de 236 páginas escrito pelo autor Felipe Sales Mariotto. Lançado em 2015 pela editora Chiado, o visual e diagramação do livro agradam assim como a revisão quase sem erros. O livro é narrado em terceira pessoa com um narrador observador.

Leon é um rapaz de 20 anos que mora no interior do Rio de Janeiro e tem o sonho de ser médico. Conquistando uma vaga na URFJ ele precisa deixar os pais e embarcar sozinho para o que, para ele, será um novo mundo. Além de estar prestes a viver independentemente, Leon irá descobrir sobre si mesmo experimentando das mais diferentes aventuras.

O protagonista além de sonhador e esforçado possui uma beleza estonteante que, junto ao seu jeito interiorano tímido e até mesmo inocente, irá despertar os mais diversos sentimentos e desejos naqueles ao seu redor, sejam homens ou mulheres.

Leon não só enfrentará o grande desafio que será seu curso mas também as surpresas que sua beleza e desejo lhe proporcionarão. Um caso de amor, descobertas e muitos segredos irão conectar o rapaz ao seu colega de curso Arthur, um jovem rico que também pretende mudar o sentido de sua vida, e achará em Leon o impulso e a razão para viver tudo aquilo que sempre sonhou e receou.

A trama ambientada no Rio de Janeiro levará o leitor à cidade através de típicas baladas, azaração e situações cotidianas realistas e algumas até absurdas porém ainda assim aceitáveis. Os monstros da descoberta da verdadeira orientação sexual e valores morais são constantemente postos em questão, mesmo que a história em si tenha levemente romantizado os temas.

Os personagens são muito bem construídos e o enredo com desenvolvimento coerente -e felizmente- breve, deixará o leitor bastante envolvido e pregado no livro. Foi assim que me senti, grudado na obra, incapaz de soltá-lo até concluir e ver que fim essa sedutora e energética trama iria concluir.

Ao iniciar o livro dei de cara com o clichê das aventuras gays -o que não é um defeito, aliás adoro clichês- mas ao desenrolar da história descobri um ótimo livro. Recomendação garantida pra quem curte o gênero ou quer matar a curiosidade de ler um romance LGBT.

sábado, 23 de setembro de 2017

Olá booklovers, como estão!? Dia de resenha por aqui e dessa vez trago um livro nacional. Vamos lá...
Um bilhete, um diário, o que realmente há por trás dos alunos mais populares de um Colégio? Aos 17 anos, Marina Moura consegue uma bolsa para realizar seu sonho do intercâmbio em Toronto, Canadá. O que ela não esperava é que fosse obrigada a se enfiar em uma investigação para desvendar um assassinato e, menos ainda, que fosse ser a acusada pelo crime. Todos são suspeitos. Como confiar em alguém? Será mesmo que ela é inocente? Marina conseguirá se livrar da acusação? Ou o assassino será mais esperto? Era para ser o intercâmbio dos sonhos...
A Acusada é um livro de suspense escrito pela autora -sucesso no Wattpad- Patrícia Maiolini. Lançado pela editora Sinna em Abril de 2017, o livro possui 204 páginas numa bem diagramada edição.

Marina é uma adolescente brasileira de 17 anos que conquista a chance de concluir seus estudos numa renomada escola no Canadá. Sem muitas delongas a história se desenrola já com a ida da garota para o país onde nos é apresentado o ambiente da trama: um colégio do tipo interno onde os alunos residem com um colega de quarto cada, separado entre moças e rapazes.

Ao chegar, a garota se enturma bem com a colega de quarto, Elisa com quem faz um breve amizade. A popularidade da nova amiga faz com que Marina conheça numa festa antes das aulas iniciarem, as melhores e piores pessoas. Após uma semana de convivência e no lugar algo chocante acontece, Elisa é encontrada morta e a principal acusada é Marina, por ser a colega de quarto da vítima, além de ser nova e estrangeira.

Sem muitos amigos, apenas Elisa -agora morta- e Nicholas, um affair de Marina, a protagonista decide iniciar uma corrida contra o tempo para descobrir quem é o assassino da amiga e ao mesmo tempo tirar o seu da reta. A investigação policial lenta e a má fama na escola são os impulsos para Marina andar com seus próprios passos.

Apesar do enredo clichê o livro me chamou a atenção pelo drama que esperava ver numa adolescente que está em outro país sendo acusada de um crime num internato. Infelizmente a trama voa e tudo acontece muito, muito rápido. Marina consegue facilmente chegar numa conclusão com a ajuda de um detetive particular. Os suspeitos são muito acessíveis e o crime pareceu não chocar os personagens a não ser a própria protagonista que tem diálogos muito formais até em momentos íntimos.

O livro não chega a ser ruim mas poderia ter um desenvolvimento melhor. Há personagens importantes que deveriam ter sido melhor explorados para sua conclusão na história ter mais coerência. A leitura felizmente é simples e rápida, no geral o livro não deixa de ser classificado com um entretenimento na média.


.



TWITTER